Join us for the best summer yet!

“Período de experiência após a morte”
17 a 23 de abril de 2023

Estudo preparado por:

John & Lindsey Biggs, C.S. de Maryland Heights, MO, EUA

+1 (541) 418 1176 johnbiggscs@gmail.com

+1 (541) 460 3515  biggs.lindsey@gmail.com

__________________________________________________

 

Abreviações: Bíblia JFA Revista e Atualizada – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH; Bíblia A Mensagem – MSG; Ciência e Saúde – CS ou C&S; Lição Bíblica – LB; Acampamento dos Cedros – CedarS

__________________________________________________

 

 

Introdução

A Lição desta semana nos dá ótimas ideias sobre como viver e vivenciar o Reino de Deus aqui e agora. Desde José salvando seu povo da fome até Moisés liderando os israelitas através do Mar Vermelho, a Lição desta semana contém muitos exemplos da atualidade do Reino dos Céus. Aproveite e mergulhe na Lição Bíblica desta semana e explore a preservação da vida pelo poder de Deus.

 

Texto Áureo

“…o reino de Deus está dentro de vós” (Lucas 17:21).

Acaso não é este o maior presente? Significa que a compreensão a respeito de Deus e o poder espiritual que dela flui estão conosco aonde quer que vamos. Não precisamos esperar porque já está dentro de nós! Não está “fora”.

Alguns aspectos interessantes na definição da palavra dentro em inglês:

Na parte interna; interiormente; internamente; na mente; sem alcançar nada externo (fonte: Dicionário Webster de 1828).

Isso significa que não pode ser comprado e não é material. É espiritual, está sempre presente, igualmente disponível para todos.

Descobri que as qualidades das bem-aventuranças e do restante do Sermão do Monte nos permitem discernir o Reino dos Céus – ser puro de coração, ser manso, ter fome de pensar e agir corretamente, ser um pacificador, etc. Leia o Sermão do Monte e veja que novas qualidades podemos descobrir a respeito de vivermos agora mesmo no Reino de Deus.

 

Leitura Alternada

Deus sabe tudo a nosso respeito! E isso é bom! Deus se deleita com o que Ele mesmo cria. Então, cada um de nós é a expressão do deleite de Deus.

“Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos” (Salmos 139:1–3,7–12,23,24).

Deus conhece todos os seus caminhos! Então, se você está se preparando para embarcar em um novo projeto, buscando a cura física, tentando encontrar financiamento para uma nova empreitada, Deus já está à sua frente organizando cada detalhe. Deus conhece seu plano de negócios; Deus sabe qual faculdade, cônjuge ou emprego é melhor para você. Deus conhece suas necessidades antes mesmo de você pedir.

Nossa tarefa então é ouvir, abrir nosso coração e nossa mente, para o que Deus está vendo e para aquilo que ele já tem conhecimento. Quando estamos dispostos a fazer a vontade de Deus, as coisas se encaixam. É isso o que esta súplica ilustra:

“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno” (Salmos 139:23,24).

 

Seção 1. Viva e seja o cântico de Deus!

“O Senhor é a minha força e o meu cântico, porque ele me salvou” (B1, Salmos 118:14,17).

De onde vem nossa força? Essa passagem deixa claro que nossa força vem de Deus, a Vida, a Verdade e o Amor – não de músculos ou elementos materiais.

“Tinha Moisés a idade de cento e vinte anos quando morreu; não se lhe escureceram os olhos, nem se lhe abateu o vigor” (Deuteronômio 34:7).

De onde veio essa “força vital”? Claramente não do corpo. Veio de fazer a vontade de Deus e permitir que Deus vivesse por meio dele. É permitir-nos ser o cântico que Deus canta através de nós.

“O teu bordão e o teu cajado me consolam” (B2, Salmos 23:1,4,6).

O bordão e o cajado de Deus nos conduzem e nos guiam. Eles nos conduzem e guiam nos caminhos do pensamento, da vida e da ação corretas. Quando obedecemos a Deus, sentimos conforto – confortados por saber que estamos no caminho certo. A palavra “conforto” significa fortalecer. Assim, Deus nos dá o conforto e o encorajamento necessários para ver claramente o que Deus está vendo e daquilo que ele tem conhecimento em cada situação.

Com Deus sendo nosso Pastor, nada podemos querer. Nada de bom nos pode faltar. Essa certamente é uma ótima maneira de neutralizar o consumismo que parece tão prevalente em nossa sociedade hoje. A crença de que o conforto e a satisfação estão em algum lugar externo – e não no Reino dos Céus dentro de nós. Que conceito errôneo que paira sobre nosso descanso e satisfação eternos!

“Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa [a consciência] do [Amor] para todo o sempre” (CS3, p. 578).

Habitar na consciência do Amor significa saber o que nos pertence eternamente – toda a saúde, a alegria, a radiância e a liberdade que são inerentes a nós – são nossos aqui e agora para serem reivindicados hoje!

 

Seção 2. A persistência de José prepara o caminho

Podemos aprender muito com José. Ele certamente foi colocado em algumas situações difíceis, mas reconheceu Deus como a única autoridade sobre sua vida. Foi isso que o capacitou a superar aquelas situações, deu-lhe forças para seguir em frente e novos talentos e habilidades que o colocaram em uma posição de destaque no Egito.

Ele disse: “Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra e para vos preservar a vida por um grande livramento. Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, e sim Deus” (B5, Gênesis 45:4-8).

Reconhecer Deus como a única autoridade sobre sua vida tornou-o tributário de Deus. Ele manteve sua conexão constante com Deus – uma conexão que era necessária para dar-lhe a inspiração para interpretar sonhos, ter a coragem de se apresentar diante do faraó e administrar os suprimentos de comida para o Egito.

Deus estava claramente vivendo por meio dele, inspirando-o a servir àqueles ao seu redor, mesmo quando havia sido injustamente preso. Deus foi a força vital que lhe deu nova energia, persistência, encorajamento, ideias, gratidão e orientação ao longo de sua jornada. Que modelo para nós! José tinha um claro senso de propósito e não estava desanimado com as coisas que aconteciam ao seu redor. Tinha uma visão espiritual clara que o ajudava a ver a graça e a presença de Deus conduzindo-o e guiando-o.

O artigo “A verdade sobre a adversidade” de Louise Knight Wheatley Cook fala muito sobre José e sua caminhada com Deus. Leia o artigo no seguinte link .

José viveu o Espírito da declaração de Paulo aqui, permitindo que o Cristo sempre novo o levasse adiante.

“Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3:13,14).

Aproveite estas observações do Bible Lens Research:

“Neste ponto, José já estava há mais de vinte anos no Egito. Como a traição deles o tornara escravo ali, seus irmãos deviam estar com medo de encontrá-lo vivo e em uma posição de alta autoridade. Mas José os perdoou, proclamando a ação de Deus em sua vida e na de sua família. Um estudioso especialista nas escrituras explica: “Ele os convida a ver o passado a partir da perspectiva do presente: . . . O que Deus fez agora conta para traçar um caminho para o futuro. Deus preservou a vida; Deus manteve essa família a salvo da ameaça de morte” (Christian Science Sentinel).

 

Seção 3. Aquiete-se e considere o que Deus está fazendo

Esta seção contém cenas de filme de ação! Há uma passagem em particular que me chamou a atenção ao ler a Lição desta semana. Encontra-se na citação 10 da Bíblia, “Não temais; aquietai-vos e vede o livramento do Senhor” (B10, Êxodo 14:5–7,10,13–15,21,22). Essa cena não é daquelas que combinaria com uma fala do tipo “aquietai-vos”! Havia tanto frenesi e medo. Mas era maravilhoso Moisés estar disposto a ouvir a Deus – admitir que Deus estava realmente lá e se valer da presença de Deus. E então, ele seguiu em frente. Não tentou ir além ao que Deus ordenara. Ele apenas seguiu adiante e foi um exemplo para os israelitas seguirem.

Provavelmente há muito nesse relato que cada um de nós pode aplicar em nossas próprias vidas. Vamos nos alegrar ouvindo a Deus para ver como e onde podemos nos aquietar e ver a presença e a salvação de Deus, em vez de pensar que temos que navegar pelas circunstâncias que estão em constante mudança ao nosso redor. Deus te ama. Ele o fez para dar testemunho dEle e mostrar como Ele é. É bom nos aquietarmos para ver o que Ele está fazendo aqui, como Ele está te amando onde quer que você esteja agora.

 

Seção 4. Deus conhece você

Na história da ressurreição de Lázaro (B13, João 11:1,4,17,21,23,25 26,39,41–44), há uma linha de Jesus que sempre se destaca para mim.  Aqui, no contexto da Lição Bíblica desta semana, com nosso Texto Áureo nos assegurando a proximidade do céu, ele se destaca sob uma nova luz.  Estou pensando na linha em que Jesus diz: “Pai, graças te dou porque me ouviste” (B13).  Ótimo!  Exceto que Jesus ainda não havia dito nada.  Alguém poderia pensar que, depois de expressar essa gratidão sincera, Jesus a havia feito com algum tipo de declaração ou talvez um pedido de Deus.  Mas não, o povo tirou a pedra e, então, Jesus agradeceu a Deus por sempre ouvi-lo. Jesus deveria estar se referindo ao fato de que Deus SEMPRE nos ouve!  Jesus estava agradecendo a Deus por saber o que ele estava dizendo em seu coração. Claro, sabemos que Jesus era muito coerente em seu louvor a Deus e se voltava para Deus em tudo e para tudo.  É revelador ver que ele não implorou a Deus para ressuscitar Lázaro, ou tentou convencer um corpo humano a se tornar saudável novamente, ou qualquer coisa assim.  Ele colocou seu peso do lado da verdade da balança e, o mais importante, SEMPRE colocava o peso do lado da verdade.

Agora, isso realmente faz todo o sentido!  Não apenas porque “ele era Jesus!”  mas porque, como o reino dos céus está sempre aqui – estamos nesse reino e suas qualidades habitam dentro de nós – faz sentido que Jesus esteja sempre alerta e envolvido com a presença de Deus. Deus conhecia Jesus perfeitamente, e Jesus estava muito feliz com isso!  Isso também nos dá uma oportunidade interessante.  Podemos dizer a qualquer momento com muita gratidão: “Obrigado, Deus, por me ouvir”?  Em outras palavras, podemos ser honestamente gratos todos os dias por Deus nos conhecer e nos ouvir? Ou existem momentos de nossos dias que estão repletos de padrões mentais de pensamento que NÃO gostaríamos que Deus – ou qualquer pessoa – soubesse? Quão focados estamos,  quão obstinados somos, na presença de Deus e em permitir que nossos pensamentos e ações honrem adequadamente Sua onipresença? Ora, algo que é de vital importância aqui é que Deus não é como um policial de desenho animado, gritando para as pessoas se aprumarem. Deus nos ama! Ele nos criou e nós somos literalmente Sua expressão. Então, Deus nos conhecer não é assustador, mas verdadeiramente libertador – é a certeza de que fomos feitos para honrá-Lo, representá-Lo e expressá-Lo totalmente.

 

Seção 5. Corra sua própria carreira

Como na seção 3, novamente estou realmente atraído por uma linha em particular. “corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta” (B17, Hebreus 12:1,2,12,13). Não a carreira de outra pessoa. Não é a corrida que você imaginou que estaria correndo. Hoje, neste dia, nossa oportunidade individualizada de honrar e glorificar a Deus.  Eu poderia ser a pessoa mais rápida do mundo…, mas se eu correr na direção oposta da carreira, ou se eu apenas correr pela arena de arremesso de peso, então minha velocidade não fará diferença.  Preciso correr a carreira, percorrer a pista, aproveitar a oportunidade que está diante de mim.  Isso significa que não devemos nos comparar com os outros. Também não devemos idolatrar nem demonizar os outros.

Como Cristo Jesus disse em seu Sermão do Monte, nós “somos a luz do mundo” e todos fomos feitos para mostrar a natureza espiritual e totalmente boa de Deus.  Estamos tão ocupados brilhando que não temos tempo para nos preocupar com o que os outros estão fazendo! Agora, certamente, nossos bons exemplos podem ser um incentivo para os outros, assim como os bons exemplos dos outros são um incentivo para nós. Parte de ser da família de Deus é que, como irmãos e irmãs, ajudamos uns aos outros! Mas não corremos as carreiras um do outro, um pelo outro.

Reserve algum tempo para considerar quais são suas “carreiras”.  Talvez uma próxima tarefa escolar, ou oportunidades de emprego de verão, ou mudanças de carreira ou de casa. Talvez oportunidades de relacionamento ou novos interesses em desenvolvimento.  Talvez um mergulho mais profundo em sua prática da Ciência Cristã, considerando o momento de fazer o Curso Primário da Ciência Cristã ou como se envolver efetivamente em ambientes ecumênicos e inter-religiosos.  Ou talvez simplesmente uma abordagem mais espiritualizada para cuidar de si mesmo ou cuidar de outras pessoas.

Somos capazes de correr a carreira que nos está proposta; não nos preocupemos com uma corrida que não é a nossa.

 

Seção 6. Agora é o momento oportuno

O “agora” é o antídoto perfeito para pensar que o Reino dos Céus está em algum lugar lá fora, em um tempo e uma terra distantes.  O ministério de Jesus viveu no agora, no tempo presente.

  • Imediatamente, o homem se viu curado e, tomando o leito, pôs-se a andar (João 5:9).
  • E imediatamente tornou a ver e seguia a Jesus estrada fora (Marcos 10:52).
  • E, impondo-lhe as mãos, ela imediatamente se endireitou e dava glória a Deus (Lucas 13:13).
  • …e logo o barco chegou ao seu destino (João 6:21).

Esse resultado imediato era um sinal da presença constante do Reino dos Céus.  Esse reino não era uma coisa “distante”.  Jesus disse que o Reino dos Céus já está aqui entre nós.

Como Mary Baker Eddy coloca: “… os céus e a terra são espirituais para uma consciência humana, aquela consciência que Deus outorga, ao passo que para outra, isto é, a mente humana não iluminada, a visão é material” (Ciência e Saúde, p. 573).

Jesus sempre teve visão espiritual, que foi o que o capacitou a “ver” o bem sempre presente. Ele não estava totalmente convencido dos sentidos materiais – sabia que eram apenas expressões de uma mente carnal e limitada.  Ele via a Deus como a verdadeira Mente; Deus, a Vida, a Verdade.  Isso mostrou-lhe que Deus e Sua criação eram e poderiam ser a única realidade.  Ele viveu essa realidade e a trouxe à tona por meio das curas realizadas.

Nós também podemos orar para ter uma mente iluminada que veja espiritualmente – como Jesus via – que o Reino dos Céus está aqui e agora.

“Agora”, exclamou o apóstolo, “o tempo oportuno; eis agora o dia da salvação” (CS28, p. 39). – não significando que agora os homens devam se preparar para uma salvação ou segurança no mundo futuro, mas que agora é o momento para vivenciar essa salvação em espírito e em vida.

Aproveite viver no Reino dos Céus hoje!

 

_____________

 

A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Steffler, Elisabeth Zir Friedrichs, Laura Soriano Yawanawa, Leila Kommers, Martha Henriques, Miguel De Castro e Ovídio Trentini.

Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.

Os Cedros são um suplemento para a LB. O estudo em inglês será publicado na 2a. feira no link https://cedarscamps.org/inspiration/

American Camp Association

MAIN OFFICE
(November - May)
410 Sovereign Court #8
Ballwin, MO 63011
(636) 394-6162

CAMP OFFICE
(Memorial Day Weekend - October)
19772 Sugar Dr.
Lebanon, MO 65536
(417) 532-6699

Support our mission!

CedarS Camps

Back
to top