Thank you for another best summer yet!

CIÊNCIA CRISTÃ – LIÇÃO BÍBLICA

Não se deixe enganar pelas miragens que parecem reais e ter vida, verdade e inteligência!

Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros

Tema: São reais o pecado, a doença e a morte?
De 07 a 13 de outubro de 2013

Abreviações:
Bíblia – B
Ciência Cristã – CC
Ciência e Saúde – CS
Lição Bíblica – LB

TEXTO ÁUREO – Efésios 5:11: “…não sejais cumplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as”. Ou segundo outra versão: “Não participem das coisas sem valor que os outros fazem, coisas que pertencem à escuridão. Pelo contrário, tragam todas essas coisas para a luz” (Nova Tradução na Linguagem de Hoje, NTLH).
Vamos conviver com o erro, ou seja, com o pecado, a doença e a morte? De jeito nenhum! Em vez disso, identifique-o como simples escuridão, sem frutos e irreal. Depois, exponha essas trevas à luz. Traga o erro para a luz e deixe que a luz do Cristo, a Verdade, destrua todo o erro, todo o mal.
LEITURA ALTERNADA – Salmos 18:28, 32; 103:1-6; 71:1-3, 21; 108:1, 2. Imagine que você está dormindo num quarto escuro, sonhando. De repente uma luz brilha em seus olhos e você desperta. O que aconteceu com o sonho? Ele foi exposto à luz e como não era real, apenas um sonho, ficou destruído. É assim também com o “sonho acordado”, quando inconscientemente concordamos e aceitamos o que está acontecendo ou o que é comentado dentro da existência da mente mortal. É fácil escorregarmos para “o conforto” dos prazeres materiais ou para o desconforto das dores materiais. E essas, também, precisam sumir quando despertamos. E o que é que nos faz despertar desse “sonhar acordado”? A luz do Cristo! Consideremos a primeira linha da LA: “Tu, ó Senhor, me iluminas; tu, meu Deus, acabas com a minha escuridão” (NTLH). Depois olhemos para tudo o que a luz de Deus ilumina para nós: provê força para nós, aperfeiçoa o nosso caminho, nos perdoa, cura as nossas enfermidades, salva nossa vida, nos conforta com amor e misericórdia, traz justiça, nos liberta do perigo, satisfaz as nossas necessidades e nos conforta. E isso é apenas uma lista parcial! Todas essas coisas acontecem à medida que a luz do Cristo, a Verdade, brilha forte e nos acorda dos sonhos do pensar material. Vamos responder como o fez o salmista – cantando hinos de louvor a Deus. “Despertai, saltério e harpa! Quero acordar a alva.” A alva, o amanhecer, traz luz. Ao sermos acordados pela luz de Deus, podemos deixar essa luz ser refletida em nossa vida, e assim, acordar para o mundo todo. As trevas não conseguem sobreviver em presença da luz!
Seção 1: Se não é de Deus, se não é bom, não é real. Todos os dias, recebemos muitas informações que vêm da mídia, dos cinco sentidos, do nosso corpo… e, também, diretamente de Deus. Como podemos saber a origem dessas informações – o que acreditar e o que descartar? Faça o teste… a informação é duradoura? Se não for, identifique-a como uma mentira sobre Deus, o bem, e se certifique de que não é real. O profeta Jeremias falando aos hebreus durante o período em que estiveram escravos na Babilônia, os animou a não se deixarem enganar pelas mentiras dos falsos profetas. Ainda hoje, somos continuamente bombardeados por mentiras – conflitos de toda natureza, economia frágil, crise, guerra, terrorismo e a ameaça de doenças, para citar algumas das inverdades. Mas Jeremias também profetiza a promessa de paz de Deus e um futuro bom para vocês. “Só eu conheço os planos que tenho para vocês; prosperidade e não desgraça e um futuro cheio de esperança. Sou eu, o Senhor, quem está falando” (NTLH). Temos de ver que tudo o que é discordante é evidência das trevas, e precisa ser exposto à luz para ser destruído. A nossa tarefa é ficarmos alertas, acordados, e compreendermos que toda a existência mortal é um sonho e confiarmos na luz divina para arrancar o disfarce, a máscara, do pecado, da doença e da morte. (Ver B2; e CS3 e CS4). Uma coisa que parece real ao pensamento humano, não quer dizer que seja real. Está claro que “não há vida, verdade, inteligência nem substância” numa miragem! É isso aí. Tudo o que a matéria reclama e se queixa não passa de uma miragem.

Seção 2: Escolha a quem te ofereces como servo
Nessa seção somos alertados para não deixarmos nos enganar pelo pecado, mas permanecermos alerta e tomarmos decisões sábias e conscientes sobre o que vamos fazer – sobre nossos atos. A Bíblia Nova Tradução na Linguagem de Hoje torna isso bem claro: “Não se enganem: ‘As más companhias estragam os bons costumes.’ Comecem de novo a viver uma vida séria e direita e parem de pecar” (B4). Ouvimos a desculpa (talvez até já tenhamos dito nós mesmos) “Está fora do meu controle, não há nada que eu possa fazer.” Isso é verdade se nos identificarmos como mortais fracos. Mas se raciocinarmos partindo da perspectiva divina, podemos escolher ser governados pela bondade pura de Deus, em vez de acedermos aos altos e baixos da matéria e da sensualidade. Devemos nos lembrar de que prazer e dor são os dois lados da mesma moeda ilusória. Valores reais e felicidade duradoura serão encontradas quando “harmonizarmos” (nos tornar consistentes) com o nosso Principio divino, o Amor divino – a base de nosso ser (CS6). O apóstolo Paulo disse aos Romanos que não nos submetêssemos ao pecado, mas sim, que nos submetêssemos a Deus, pois nos submetermos ao pecado, estaremos sendo “contratados” como servos da morte, mas se nos submetermos a Deus, deixa-lo reinar em nós, estaremos nos conectando com “a justiça”- as coisas boas e verdadeiras (B5). A Concordância Strong´s diz que a palavra grega “ceder” pode também significar “estar ao lado” ou “ajudar”. Dessa maneira a nossa decisão não é só ao que vamos deixar reinar em nós, mas ao que vamos nos identificar e aceitar viver. Isso amplia as palavras do profeta Isaías: “cessai de fazer o mal” (B6). Podemos encontrar a coragem moral de lutar pelo que é justo – tanto para nós mesmos como para outros. Vamos aceitar estar continuamente sob o jugo dos prazeres e das dores da matéria? ou vamos nos unir ao bem consistente do Amor: escolher o pecado ou a justiça. Cada um de nós tem de tomar essas decisões a cada momento. Em vez de ir ao balanço da onda e pensar certo e errado, por que não ajudar a nós mesmos e aos nossos amigos a tomar decisões que vão trazer alegria e felicidade duradouras, sem tristezas ou sentimento de culpa? Use a razão para raciocinar de modo correto e lógico e aguarde com paciência que Deus revele a Sua bondade aos Seus filhos e guie a todos à Sua luz, seremos atraídos de modo correto (CS7).

Seção 3: A compreensão da origem divina do homem nos livra do pecado
A batalha contra o pecado seria grande demais se pensássemos em combatê-lo com a força de vontade humana. Uma grande ajuda para obter a vitória sobre aquilo que não queremos para nós é começar com o que somos e qual o nosso direito de nascença! “O Senhor Deus mandou Moisés dizer ao povo de Israel o seguinte: – Sejam santos, pois eu o Senhor, o Deus de vocês, sou santo”(B,8, NTLH). Por acaso era isso uma sugestão? Ou estava Deus nos ajudando a compreender que não temos opção nessa questão! Como descendente de Deus – Sua imagem e semelhança, não é da natureza do homem pecar – assim como não é da natureza de Deus “engendrar a capacidade ou a liberdade para pecar” (CS,8). A semente não pode produzir algo diferente de si mesma. Ponha um caroço de abacate na água até começar a brotar, plante-o, e você terá um pé de abacate… não de uvaia! Deus plantou Sua divina semente em cada um de nós (B,9). Por causa dessa relação, o homem (cada um) está “ligado pela Ciência” ao Criador de todos! Ligado pela verdade do ser! Quer isso dizer que nunca seremos confrontados pelo pecado? Dificilmente! Mas, a compreensão de que esta é a verdade do ser, permite-nos fazer algo quando vemos evidência do pecado (destruí-lo). Temos que reconhecer o que é real, mesmo em face do que aparenta ser. Olhe direto para o que parece ser um mortal pecador (ou mortais pecadores) e veja ali mesmo o homem de Deus, feito à imagem de Deus e refletindo a santidade de Deus (CS,9). Reconheça a relação verdadeira e indissolúvel de Deus com o homem (a semente que está dentro de si mesma). Reconhecendo o ser de Deus como “santidade, harmonia, imortalidade” concluímos que esta é a verdadeira natureza do ser do homem. Continuando nesse reconhecimento na melhor forma que pudermos trará a cura (CS,10).

Seção 4: A doença é reconhecida como uma mentira sem existência, quando a Verdade desperta o pensamento
O salmista desejou ser despertado e ver a si mesmo como semelhança de Deus (semelhança que é o único ser verdadeiro de toda a humanidade) (B12). O desejo de “ser purificado” do enegrecido sonho adâmico foi o ímpeto que levou o leproso a Jesus para ser curado (quer estivesse cônscio disso ou não). Jesus respondeu: “… fica limpo” (B14). Jesus reconheceu que o homem de Deus está sempre livre do sonho da doença – o que o habilitou a curar confiantemente toda doença – independente da forma em que se apresentasse. Mesmo agora, a luz e a Verdade do Cristo nos desperta para o fato que parece inacreditável de que a doença não é real – e nos liberta dos “decretos da mente mortal” que desejam nos manter cativo a nós e a outros. Honraremos as falsas imagens e predições das “teorias humanas relativas à saúde” com temor e aceitação? Ou, vamos “libertar-nos” dessas falsas teorias (ainda que bem intencionadas) e “EXILAR a doença como um proscrito” assim como fez Jesus? A lei de Deus é uma “harmonia perpétua” (CS13). Esta é a lei à qual devemos sempre estar atentos e cônscios! Somos ordenados a insistir “com veemência no grande fato, que tudo domina, de que Deus, o Espírito, é tudo, e que não há outro fora dEle. Não existe moléstia” (CS15). Sei que parece mais fácil dizer do que fazer. Mas isto é porque tratamos de argumentar a partir de um ponto de vista de um sentido limitado e mortal de nós mesmos – tentando vencer um “erro grande e mau que parece verdadeiro”. Agora, iniciemos tomando como ponto de partida a luz do Cristo que constantemente desperta o pensamento! Iniciemos pela MENTE divina como sabedora, conhecendo Sua própria ideia! A Mente não pode menos do que transmitir força, compreensão e saúde, pois isso é o que constitui a Mente (CS,14). E é isso que NOS constitui! Podemos ser fortes, veementes e claros sobre nosso ser porque Deus é claro – e É TUDO!

Seção 5: Faça “jejum” da doença e insista na saúde!
O que é saúde? É algo que vem e vai, dependendo do estado do corpo material? Não! Saúde é o estado eterno do homem como reflexo de Deus e está disponível para ser percebido aqui e agora. Saúde é uma condição da Mente divina. E, a Mente é sempre-presente. Dessa forma, saúde é um estado sempre-presente a ser reivindicado! Se não fosse assim, a Bíblia teria continuado a desenvolver em cima das “leis da saúde”, incluindo o que comer, o que não comer, etc. Mas, como sabemos, esses tipos de leis estão em constante mudança. A Bíblia também está cheia de leis de saúde [divinas] – as leis eternas sobre como analisar nossa relação com Deus, a fonte da saúde. O jejum não é um conceito novo. A rigor, o jejum vem de uma raiz hebraica que significa “tapar (a boca)”. Isso inclui sacrifício e abnegação. Mas, se for só para se mostrar, não vai atingir aos propósitos de aproximar ao que jejua de Deus. Isaías repreendia o tipo de jejum (não comer) que era apenas um sinal externo vazio de devoção. Ele, porém, descreve o jejum que Deus quer, como aquele de romper laços restritivos, de cuidar e libertar as pessoas. É através desse tipo de jejum que a salvação e a saúde virão – “Então a luz da minha salvação brilhará como o sol, e logo vocês todos ficarão curados. O seu Salvador os guiará, e a presença do Senhor Deus os protegerá por todos os lados. Quando vocês gritarem pedindo socorrro, eu os atenderei; pedirão a minha ajuda, e eu direi: Estou aqui”(Isaías 58:8,9 NTLH-B18). Então, como traduzimos isso para os dias de hoje? Não apenas jejuamos – nos abstemos – de nossas comidas ou atividades “prediletas” para demonstrar o “auto” controle, como também denunciamos as coisas que sãodessemelhantes a Deus, o bem – jejuar da crença no erro – e assim, trazer à tona a totalidade e a saúde que é de Deus. Isaías salienta a percepção da saúde e sua completude – não apenas a negação. Reconhecemos a saúde como natural porque vem de Deus e tudo o que limita identificamosmos como não sendo natural porque não é de Deus. Simples assim. Temos que jejuar de tudo aquilo que os sentidos materiais apresentam sobre o assunto (CS16). Recebemos a instrução: “Insiste mentalmente que a harmonia é a realidade e que a doença é um sonho temporal”(CS18). E continue insistindo até que esse fato seja visto na experiência humana. Mas, recuse ficar olhando para a matéria para ver como está se saindo. É disso que precisamos jejuar! Concentre-se em Deus. “O ser de Deus é infinidade, liberdade, harmonia e felicidade ilimitada” (CS20). Portanto, esse é o NOSSO ser, também! Não se esqueça da “felicidade ilimitada” ao ver a evidência da infinidade, liberdade e harmonia por todo parte. E, onde não conseguir enxergar ainda, insista no fato de que ela está ali… e não deixe de insistir até estar convencido da perfeição!

Seção 6: Saia da escuridão – desperte para a luz!
Você já pensou na morte como apenas “obra” da escuridão? E a escuridão como simplesmente a suposta ausência da luz? A morte, então, não pode “engolir” a vida, não mais do que a escuridão pode “engolir” a luz. Jesus nunca aceitou a morte como uma condição permanente… não mais do que achamos que o sono é uma condição permanente. Em cada um deles, o indivíduo está em um estado de consciência diferente daqueles ao seu redor. Porém, precisamos perceber que há SOMENTE a consciência da Mente divina… e a Mente está sempre consciente de suas ideias; e suas ideias estão sempre verdadeiramente conscientes de sua Mente geradora. Paulo disse aos Romanos que era hora de despertar do sono e “pararmos de fazer o que pertence à escuridão e pegarmos as armas espirituais para lutar na luz” (B21-NTLH). Ele não poderia estar dizendo a todos nós que é hora de despertarmos da crença da inevitabilidade ou permanência da morte e nos mantermos armados com a permanência da luz do Cristo, a Verdade? Quando Jesus foi chamado para curar a filha de Jairo, e despertá-la dos mortos, ele respondeu com confiança e sem hesitação. Nunca tinha medo de que a escuridão da morte pudesse superar a luz da vida. Ele nunca disse às pessoas que a garota estava morta, mas que ela estava apenas dormindo. Quando os céticos [e as carpideiras pagas] riram daquele pensamento, Jesus os tirou da casa. E, então, chamou e a menina respondeu à luz – despertando para a Vida que não pode ser perdida (B20). Às vezes, esse desprezo e essa descrença vem na forma de nosso próprio pensamento, duvidando que a cura realmente virá. Devemos acabar com esses pensamentos para estarmos livres para responder ao chamado do Cristo – livres da escuridão do pensamento da morte terminal e do sonho da morte e em direção à luz da vida. Não precisamos esperar até termos a impressão de passarmos pelo assim chamado “processo de morte” para despertarmos para o fato de que “Não há morte, não há inação, nem ação mórbida, nem ação excessiva, nem reação” (CS22). Podemos “sentir a energia divina do Espírito” aqui e agora. Quando despertamos da suposição de que estamos separados de Deus e de que somos parte de um ciclo de altos e baixos – vida e morte – podemos começar a despertar de todas as limitações que constantemente se apresentariam para nós. (Veja a lista na citação CS25). Porém, da mesma forma que o vento dissipa a névoa e o sol elimina a escuridão, quando despertamos para a presença eterna da Vida divina dentro de nós, a escuridão de TODA limitação, incluindo a morte, é destruída!!!

Seção 7: Permaneça na luz… Reconheça sua eterna coexistência com Deus!
“A Vida é, sempre foi, e sempre será, independente da matéria” (CS28). O homem “coexiste com Deus e o universo” (CS 27). Essas são fortes declarações – poderosas – e libertadoras! Vemos a ideia do coexistente – Deus e o homem vivendo juntos – claramente expressa na visão de São João no último capítulo de Apocalipse. Nessa Nova Jerusalém, todos os componentes da mortalidade (morte, pesar, choro, dor) são eliminados e os filhos de Deus são convidados a beber livremente da fonte da “água da vida” (B24). Estaria Deus resistindo aos Seus filhos e está, Ele finalmente, aparecendo? É claro que não! Toda sugestão de separação é o sonho mortal limitador. A visão do Cristo veio a João para revelar a realidade. Em toda a Bíblia, a luz do Cristo revelou promessas como a de Isaías “sobre ti aparece resplendente o Senhor, e a sua glória se vê sobre ti” (B22). A luz eterna não diminui! Não envelhece. Não morre. É [sustentável,] como um meio-dia perpétuo. Essa luz perpétua está para sempre presente. Quando mantemos nossos olhos abertos para essa luz do Cristo, somos capazes de reconhecer o reino dos céus como nossa morada eterna. O céu não é o lugar para onde vamos quando morremos. É o estado da consciência que mora dentro de nós e que nos assegura que não podemos morrer nunca! O pecado, a doença e a morte desaparecerão para sempre quando permitirmos que “o altruísmo, a bondade, a misericórdia, a justiça, a saúde, a santidade, o amor reinem (prevaleçam) em nós” (CS30). Essas qualidades são inerentes a Deus. [Por reflexo,] elas são nossas – e pertencem a toda humanidade!!! ESTAMOS despertos a elas. Reivindiquem todas!!!


Este estudo metafísico foi preparado por Kathy Fitzer, CS, 314-323-4083 kathyfitzer@gmail.com

[Comentários entre colchetes: Warren Huff, Diretor do Acampamento dos Cedros e Editor dos estudos metafísicos]

A equipe de tradução para o português é composta por Dulcinea Torres, Leila Kommers, Martha Samary e Ovídio Trentini, com a leitura final por Orlando Trentini, CSB.

Visite o saite www.trentinicsb.com. Ali encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, para baixar e partilhar com seus amigos.

Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB. Os Cedros são um complemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 3ªfeira.

http://www.cedarscamps.org/metaphysical

American Camp Association

MAIN OFFICE
(November - May)
410 Sovereign Court #8
Ballwin, MO 63011
(636) 394-6162

CAMP OFFICE
(Memorial Day Weekend - October)
19772 Sugar Dr.
Lebanon, MO 65536
(417) 532-6699

Support our mission!

CedarS Camps

Back
to top